1.10.14

Vazio....


"Renunciar a algo que amamos muito e que desejamos com toda a força do coração é uma das decisões mais cruéis de se tomar que conheço. Porque a perda equivale a uma morte dupla: morrer para alguém e matar a pessoa na gente. É como se sobrasse por dentro apenas um casarão vazio com um jardim morto. E, de repente, tudo tão subitamente anoitecido sem previsões de dia novo. É um caminhar lento e arrastado numa espera sombria de que as horas passem e o tempo leve essa febre alta sem medicação possível. É preciso que haja tanta paciência e firmeza por dentro pra não entrar em desespero, que a sensação que se tem é de estar meio fora do ar, com tanto esforço. E até chorar fica difícil, teme-se que nunca mais o choro cesse. Há muitas perdas quando se termina algo que não se queria ter terminado: muda-se a auto-imagem, alegrias ficam suspensas, sonhos desaparecem por um tempo e nenhuma cor na paisagem. O quotidiano fica obscurecido por aquela lacuna aberta no meio do que era a parte mais interessante dos dias."

4 comentários:

Imprópriaparaconsumo disse...

Mas há sempre um amanhã e um sorriso que pode ainda vir a ser :)

Shiver disse...

O casarão agora vazio pode sempre encher-se outra vez, renovar-se.
A luz vai voltar a entrar,como sempre faz.

Beijo

Sil Maria disse...

Imprópriapc...
Há sempre mais vida no dia que ainda não nasceu! Sigaaaa
Beijoooo

Sil Maria disse...

Shiver,
Que assim seja!
Venham de lá mais histórias para enchar o salão de alegrias e sorrisos!
:))