27.6.14

A última peça...


Be in love is like dance...

Houve quem me deixasse ser apenas amiga e me mostrasse que os homens podem ser os melhores amigos, dar ombro, estar apenas ali sem precisar dizer palavras, apenas estar.... assim foste tu lá longe na minha adolescência, onde te conheci e faz tantos anos que a gente se conhece, e impossível será esquecer aquele olhar nosso (que tudo disse) que determinou que seria AMIGO o lugar onde irás permanecer até aos fins dos meus dias, daqueles que estão nos casamentos, nascimento de filho, nos funerais, nas datas que se partilham com os especiais. A tua voz reconheço mesmo de costas quando pronuncias o meu nome. E a sensação de ver aquele ser minúsculo nas tuas mãos nesse tamanho XL que és tu foi uma emoção que nunca se esquece. Sim, a primeira boca que se beija, mesmo que tardiamente nunca se esquece, mesmo que não tenha sido mais nada do que um jogo de beijos, de romance, de histórias de encantar, quase inocente, foste tu que copiavas poemas para me conquistar, mas foste tu que tiveste a ousadia de me tirar para dançar quando não permitia ninguém encostar-me um dedo. Foste tu que me despertaste o meu lado sensual, a ti, que nunca mais vi, vou sempre agradecer (estejas onde estiveres) por me mostrares esse meu lado. Pois é, parece que o príncipe que um dia virou sapo tem o seu lugar também, levou-me ao altar o que mais nenhum conseguiu, e me deu a maior de todas as razões de vida: filha! Mas foi aos 40 que tu mudaste tudo, me fizeste pecar, me mostraste que a minha vida estava toda errada, e que tinha de a mudar, foste o amante que me levaste a cometer algumas das maiores loucuras, me levaste a mentir para fugir para os teus braços, me mostrastes que afinal o meu lado sensual ainda podia ser mais selvagem do que pensava. Depois de poucos, há alguém que o tempo me levou em 6 meses mas que jamais se esquece a intensidade com que me devolveste o sorriso, com que tiveste a coragem de me revelar os defeitos para eu corrigir, e isso só acontece com almas gémeas, quase cruel a forma como a nu me deixavas, foste tu o responsável por eu olhar de novo para mim, de me ver de longe, de me buscar mais fundo, e me trazer para cima, foi por causa de ti que o meu mundo ganhou um outro sentido. Eras um espelho de mim, és o homem mais frontal e directo que encontrei até hoje, tinhas o olhar que me lembrava a minha avó, a minha mais adorada avó, e foi neles que me perdi tantas vezes. Agora, mulher completa fiquei contigo que me alucinavas a mente, que conseguias evadir de mim, me conseguias ler à distância, me fizeste entregar sem medos, a quem me dei sem reservas, que mal me tocou o corpo mas de quem fui tantas, e tantas vezes, foste a maior de todas as companhias que já tive, estavas ali sempre, batias aqui dentro como se me habitasses por dentro, fui mulher, fui menina, fui amante, fui tudo contigo,  fui o que nunca imaginei, juntaste todas as peças que cada um dos anteriores me deu, juntaste-me por dentro, colaste-me com a maior das paciências que alguém jamais terá por mim. E hoje sou muito mais eu por causa de ti. Fizeste-me ser a mulher mais feliz de sempre, e ao mesmo tempo foste a maior de todas as dores por seres aquele que sempre soube que não seria meu. Seremos sempre um fogo aceso por acabar de extinguir.

E agora onde ficas tu?
Continuas a rodear-me... foste-te embora depois de um beijo e um passeio de mãos dadas... e voltaste, queres e não queres, alucinas-me e alucinas-te, perdes-te e não sabes bem onde queres chegar comigo. Provocas-me, sabes onde me tocar na alma... deixei-te todas as portas abertas, e por isso mesmo te assustas tanto... percorrer o corredor até lá ao fundo não é fácil, tem armadilhas, tem prémios, tem segredos por revelar, até para mim mesma. Sem promessas, apenas um dia de cada vez!
Despe-me até à última peça...

"Faz com o coração o contrário do que fazes com o corpo: - despe-o.
Quanto mais nu, mais ele encontrará o único agasalho possível: - um outro coração."
Mia Couto

2 comentários:

AFRODITE disse...



Um beijo nu em Ti...

Sil Maria disse...

Minha deusa, ai que saudades do teu abraço....
<3