4.4.14

(Lou)cura...

E às vezes é assim, paramos o tempo nas mãos, agarramos o ar e sufocamos por dentro das horas os minutos rebeldes. Esventramos as entranhas até não conseguirmos ser mais nada a não ser a loucura de existir, de respirar. E às vezes é assim, somos loucos, simplesmente loucos de ser, de virar o tampo da mesa da vida, de encher de murros as dores e esquecermos de que somos tão pouco, mas o pouco do muito que nos faz ser por dentro, onde se encerram as palavras, os silêncios e os medos... Queremos a vida sugada ao máximo, e somos empurrados dia-a-dia sem a sugar verdadeiramente. Esperamos qual presa pendurada no muro, à espera de ser devorada. E somos loucos, porque só a loucura é a cura para a rotina diária. E viramos tudo ao contrário na tentativa de encontrarmos mais um eu perdido lá dentro de nós, caminhando solitário à espera de ser resgatado! É a cura que pretendemos encontrar... em cada canto da vida, em cada caminho, em cada ruela estreita, em cada cruzamento vivido, seremos sempre loucos, jamais se perca a loucura de ser!

10 comentários:

Shiver disse...

Viva(m) os loucos :)

Beijos***

Nikita disse...

É a loucura que nos leva a fazer coisas que de outra forma jamais arriscaríamos porque o nosso lado racional não nos deixaria!
Uma boa dose de loucura é sempre saudável, no meu ponto de vista ;)

Beijo grande

Vício de Ti disse...

Uma loucura qb parece-me o adequado :) nem tanto ao mar nem tanto à terra. "Para o inferno, para o inferno ... mas com equilíbrio" :)))

Beijoca :)

SinneR disse...

nem mais ;)

bj doce

Jorge disse...

Pois é...mas há que ter um certo cuidado...
Beijinho doce, boazona!
:))

Sil Maria disse...

Amém!
:))

Sil Maria disse...

Sem a minha dose não viveria!
:))



Beijitos

Sil Maria disse...

Ora nem mais... é mesmo !
:))


Jokitas

Sil Maria disse...

:):)

Sil Maria disse...

Cuidado e loucura não são muito conjugaveis...



Beijocas :))