18.2.14

Poison...

Não queres saber da vida da mais ninguém.. não te interessa gente que não te entende... só eu... mentes tão mal quando me dizes que não somos mais que amigos, que não podemos, que não é racionalmente possível... às vezes, só às vezes sou obediente. Sabes, não, não sabes as ganas que me dás quando me proíbes dessa forma! Quando me envias mensagens com aqueles três pontinhos a seguir ao meu nome. Pronto, eu finjo que não sei de nada, faço até de contas que não te sinto do outro lado, sou tão boa a desconversar!... E tão inocente!... Certo, eu não falo do que sinto, se não ficares sem palavras do outro lado da linha. Eu faço o maior silêncio que se possa imaginar... mas desculpa já não posso evitar as ondas de energia consumidas de cada vez que os meus dedos me provocam espasmos convulsivos pelo corpo, onde as tuas imaginariamente violam o céu das minhas noites... sim, violo-te vezes sem conta na imaginação, não tens noção do quando gemes, do quando te alucino em pensamento, nunca caias na asneira de achar que a um metro de distância de mim estás em segurança! Melhor, estás, visitarás outras galáxias, e não voltarás jamais de lá.Continua...

6 comentários:

Horácio Augusto disse...

muito intenso,adorei

Shiver disse...

Nunca deixes de imaginar :)

Jorge disse...

Desculpa ter "desaparecido" assim, mas ar incompatibilidade com o sapo levou a que assim fosse.
Beijinho

Sil Maria disse...

Obrigado mais uma vez....
:))

Sil Maria disse...

Nunca deixo de sonhar...
:)))

Sil Maria disse...

Não interessa nada isso... o que vale é que estás de volta!
:)))