1.10.13

Rescaldo...

 Um dia perfeitamente normal, chegando ao local de trabalho, e sou assolada por uma avalanche, e meia hora de conversa muda tudo na vida, queria, desejava que não fosse assim, mas já o sentia há um tempo, e sabia que um dia seria a minha vez, e chegará a hora da conversa final... aguardo... mas quando algo corre mal, parece que o mundo inteiro se vira e me mostra que está tudo errado, e leva-se de todos, e nem se sabe bem porquê, nem de onde, apenas se sente as chicotadas lançadas, seja familia, amigos de tantos anos, de onde jamais se esperou apanhar, dissimuladamente. Que é pior, prefiro que me digam na cara, do que sabe-las pela boca de outros, em apunhaladas mansas. É nesse momento, que ficamos a saber quem realmente está do nosso lado e nutre algum sentimento válido. É a separação do trigo do joio! E ficam os bons como digo sempre! Cai-se, por mais força que se tenha, impossível ficar de pé a assistir, fogem-me os sorrisos dos lábios inevitavelmente, olho-me e não vejo brilho algum no espelho, sei que uns dias vou precisar para me recompor, mas volto sempre, voltarei sempre, porque sou fiel a mim, à promessa que fiz a mim mesma um dia. O desespero é momentâneo, as lágrimas servem apenas para lavar a alma, o resto voltará a recompor-se de qualquer forma. Só que quando atravesso uma tempestade onde sinto o abalar das estruturas, dos princípios, das verdades em que acredito, algo muda para sempre. Jamais será igual!!! E como diz o ditado depois da tempestade, embora ela ainda não tenha passado e ainda esteja no meio dela, vem a bonança, e assim, a calma dos movimentos se faz andar por aqui, acompanhada dos meus silêncios tão necessários, preciso de todas as minhas palavras guardadas para atravessar mais esta prova, lição, seja o que for, chegarei do outro lado!

6 comentários:

Anónimo disse...

Na vida os momentos menos bons são aqueles que mais nos fazer crescer e dar a volta por cima. A vida é construida destes momentos, que devemos aproveitar para nos construirmos...
Espero ter ajudado um pouco.
Força...

By Rui

DoiSaboresELA disse...

Porque ate os fortes caem com os joelhos no chão. A diferença esta na forma como se levantam.
Mereces sorrisos grandes e sinceros.
Um beijo grande do tamanho do mundo :)))

My Skin n Under disse...

Resistir, é preciso!

Sil disse...

Ou reconstruir o que ruiu...

Sil disse...

E quando se vive com o coração na ponta dos dedos, à superficie... cai-se mais vezes!!!
Levantarei sempre!!!!
E tu mereces um sorriso enorme devolvido a ti!




Beijo minha querida :)))

Sil disse...

É sim, mesmo que às vezes a vontade de o fazer seja tão apelativa!
:))