23.4.13

Há muito


Há muito que o corpo pede o aconchego dos dedos que libidinosamente penetram e percorrem cada canto e recanto do meu ser. Há muito que a alma grita por perder-se na loucura dos teus gemidos, e sossegar ao ritmo do bater do teu coração ancorado nesse peito liso e macio. Há muito que as formas se desejam encaixar na perfeição da luxúria sentida na ponta da língua que ávida e sofregamente sorve o teu néctar quente. Há muito!

12 comentários:

Soul disse...

Acabamos por nos sentir sempre assim,quando os desejos nos assolam...
Entendo-te

Um bom dia, Sil

Sil disse...

E nem vale a pena pensarmos que podemos fugir deles...
Só nos enganamos a nós mesmas...
Um bom dia também para ti, Soul
:)

Soul disse...

Mesmo!

Beijo,menina :)

Prazeres do Norte disse...

Mas que desejo....mas que vontade...
Deixas-me em alvoroço

Beijos com Prazer

Eros disse...

Há pouco... há pouco mais a fazer do que acenar a rendição...

Sil disse...

:))

Sil disse...

Devemos deixar o desejo e a vontade voar até encontrar pouso
:)

Sil disse...

Será?
Às vezes é bom prolongar a ansiedade do toque, o desejo de encaixe, porque quando acontece torna-se divinal.
:)

Sol Negro disse...

a imagem é bela, emotiva com palavras a condizer!


-___-,

Sil disse...

É o aconchego entre corpos, com as palavras certas sentidas!
:)

Eros disse...

E quem disse que rendição é apenas tocar e encaixar?! :P
A rendição aqui alude à entrega da devoção, da te(n)são e da contemplação.
O toque e o encaixe serão o desenlace... a morte e a ressurreição... a Petite Mort... :)

Sil disse...

E quem falou aqui que o encaixe se aplicava apenas ao corpo, embalagem de um ser maior!? ;)
A explosão final depois de um encaixe de corpo e alma, sim, é a Petit Mort!
:)