10.1.14

Sonho[te]!

Acordou de sorriso nos lábios... tinha adormecido a pensar nele, com a voz dele nos ouvidos, e o coração a pulsar-lhe dentro do peito. Batia desgovernado, e solto. Mas ela não lhe ligava, cansada tinha assim adormecido... e pela madrugada, o sono solto, leve e restabelecido esvaiu-se e os olhos abriram-se na escuridão... faltava ainda metade da noite para dormir, e ele povoa-lhe o pensamento. Sabia o que o corpo pedia, exigia, mandava executar numa ordem sem hipótese de fuga. Estava ali inerte, tentando resistir[lhe] aos impulsos, ao desejo de o sentir levantar voo dentro de si, de o sentir tão fundo que quase lhe sentiria o cheiro e o paladar. Tentava, tentava... e não voltava a adormecer! Enfim... deixando de contrariar a razão, abandonou-se ao toque da sua pele, macia, por onde os dedos deslizavam, imaginando os dele, e deixava-se conduzir pelo sonho, de lhe sentir a boca a percorrer-lhe cada curva e dobra, derretendo-a em beijos suaves e arrepiantes. Soltava silenciosos suspiros, sentia-se a encharcar... alucinava nas sensações que a ponta dos dedos provocavam ao dedilhar-se uma, outra, e outra vez.... e o desejo crescia, fazendo crescer os suspiros em gemidos abafados na noite... queria[o]-se tanto que se violentava por dentro, castigava a sua mente com palavras obscenas que agora não mais conseguia travar, alambazava-se de si, enchia-se de dedos, e sentia-se preenchida por ele, perdendo a noção do espaço, do tempo... diluindo-se em suor, exalando um cheiro florescido, e embrenhando-se na morte plena de se[o] amar voltou a adormecer!

6 comentários:

O Sussurrar do Corpo disse...

um sussurro

Imprópriaparaconsumo disse...

Sonhos que se querem traduzidos numa doce realidade .)))
Um beijo!!

Sil Maria disse...

Sussurro devolvido :))

Sil Maria disse...

Primeiro sonha-se, depois faz-se acontecer! :)))



Jokinhas minha tonta mailinda!

Horácio Augusto disse...

intenso,adorei e resta me bater lhe palmas e mais palmas...

Sil Maria disse...

Um pouco exagerado da sua parte, mas obrigado!
Intensidade é comigo mesmo... de outra forma não vale a pena viver!