8.9.13

Danças...

 
As luzes apagavam-se ligeiramente, e na penumbra os olhares ficavam mais misteriosos, ela dançava envolvida nela mesma, de olhos fechados, ele esbarrou-se nela ao entrar na pista de bebida na mão, o liquido do copo escorreu pela renda que lhe cobria as costas, o olhar parado um no outro num momento de embaraço fora apenas quebrado por um sorriso dela. Ele retribuiu, e ficara por ali de volta dela, tentando penetrar nos movimentos sensuais que a música a levavam a fazer. Por momentos os olhares evadiram-se do mundo real, mas os encontrões os faziam voltar à realidade, o mundo ainda respirava por ali, ao lado deles. Os espaços tornavam-se mais apertados, e os corpos chegavam a roçar-se levemente, os olhares continuavam a trocar-se enquanto a música os levava para outros mundos, talvez o imaginassem em conjunto, ou talvez não, a adrenalina subia alguns graus dentro das veias, ao sentirem a respiração tão perto. As mãos quase se tocavam, os sorrisos trocavam-se, os movimentos quase se encaixavam um no outro, e o desconhecido quase os apaixonava... o calor dos corpos imbuídos ao ritmo das músicas quase se misturava, e embalavam numa dança que não sendo deles, lhes pertencia.

6 comentários:

lusoma mar disse...

tens razão ,, há olhares que nos despertam coisas inacreditáveis,, mas o mais ligeiro toque
de contacto pode ser ser imaginado em conjunto e a musica nos convida a sermos mais ligados num
espaço mesmo ccom musica e uma bos respiração...
sim , gostei do termo embalavam numa dança----parabéns..
:)

Soul disse...

Pura intensidade de sentir.
Adorei!

Beijos, muitos, menina linda :*

Sil disse...

Menina linda,
É o que faz ser dona de uma imaginação fértil, conjugada com o efeito de evasão que a música tem em mim. Perco-me e abandono-me aos movimentos no meio de uma pista, e às vezes sou despertada por alguém assim.... nada como tentar traduzir em palavras o que a pele, o instinto, o meu mundo sentiu, e foi abalado!
:)







Beijooooooooo assim, sabes do tamanho do mundo
:****

Sil disse...

Há momentos que se vivem... devemos esgota-los para não ficarmos com a sensação que podiam ter sido mais, foram ali, naquele instante sem culpas.
:)

Lynce disse...

Gosto quando elas me abraçam assim e passam discretamente a mão pelo nabo já teso...
:)))

Sil disse...

Há mãos muito indiscretas....
;)