19.8.13

Um dia...


As palavras deixaram de fazer sentido, deixaram de fazer eco dentro dela...
Foi, um dia, como o pó varrido pelo vento no deserto!...
Ela quis com toda a alma, como sempre, e para sempre assim será!
Ela sentiu-o em todos os poros, dentro do mais fundo que se possa imaginar.
Ele deixou-se atordoar por ela, deixou que ela o conduzisse a um mundo só dela, mas ele nunca quis verdadeiramente pertencer-lhe, apenas tinha a curiosidade de olhar os recantos do castelo! E quando as mentiras adornam as palavras os restos mortais dos sentimentos desfazem-se em farinha peneirada pelo tempo, que de tão fina se extingue no ar...
Foram palavras de algodão, foram cumplicidades julgadas únicas, partilhas sem fim, pedaços conquistados segundo a segundo com tempo e sem tempo, e resta apenas uma saudade de tudo o que nunca foi. Porque o que se viveu, fica lá, guardado e empilhado em mais uma bobine do episódio que se saboreou como um gelado de sabor novo e se pretende consumir lentamente cada pedaço como que retardando o fim, prolongando e tentando-se evitar o derreter do tempo! E foi assim.... que as palavras deixaram de fazer sentido ao deixarem de ser sentidas!

8 comentários:

Nethuns disse...

venham novas palavras, novas vidas, novos ventos!

vive-te

beijo

Sil disse...

Venham novas histórias!
:)







beijos gajo bom

Vício de Ti disse...

O que se vive de uma forma ou de outra fica sempre dentro de nós :) . Quanto às palavras basta por vezes uma só para sabermos que se trata do fim.

Beijinho

Soul disse...

Agora arruma-as numa gaveta da memória e deixa-te levar pelo que a vida melhor nos dá!
Aproveita a vida,princesa...

Beijo grande,grande :*

Estrela disse...

Somos o que vivemos Sil. E quando entregamos tudo, sabemos que estamos a conferir uma pincelada colorida ao quadro da nossa visa, mesmo que seja breve, mesmo que seja incompreendida.
Vislumbro um belo quadro, o da tua vida. Só tens que continuar a pintá-lo :)

Beijo *Estrela*do*

Sil disse...

Verdade mesmo!
E quando se sente, nem as palavras são necessárias.... e as recordações ficam lá, guardinhas e a ganhar pó!
:)






Beijocas

Sil disse...

Eu sei que é mesmo isso que tenho de fazer, mas custa-me sempre deixar ir!
Aproveitando sempre da forma que dá!
:)






Beijos assim daqueles grandes, do tamanho do mundo
:****

Sil disse...

Estrelinha minha,

Tem muitos cinzentos, mas também tem cores de todos os tons que eu acrescento da melhor forma.
Uma grande verdade essa, somos a soma de tudo o que vivemos!
:)))







Beijitos no brilho da Estrela