29.7.13

Entre o ir e ficar...


Às vezes olhamos para nós e não vemos porque tomamos determinada acção, às vezes precisamos voltar a olhar um pouco o passado para sentir porque valia a pena estar dentro de mim, ou de ti, qual foi o impulso, o motivo que me levou a determinado cais, quais as regras que quebrei, quais as regras do jogo que aceitei. E foi sem regras, foi sem destino, sem futuro, sem nada que partimos... E se não havia cobranças, porque teimam em circular-me na mente, talvez seja apenas medo... medo de cair, medo de perder, medo de sentir mais, medo irracional de ser o que procurei a vida toda, porque não existe uma cumplicidade igual, que não tem apenas segundos de vida, antes vários meses, construída por pequenos pormenores, que se gostam tanto, que nos atraiem, que me fazem ficar... pormenores que fazem a diferença, lapsos de tempo perdidos na memória viva do corpo e da alma, aos quais não existe comparação. Sou aquilo que procurava, és o que preciso neste momento, no entanto, insistes em dar-me razões para partir...

12 comentários:

Tomates e Grelos disse...

Perguntas às quais só tu podes responder...

Sil disse...

Claro que sim!
Foi apenas um desabafo, um deixar a pensamento falar alto...
:)

Vício de Ti disse...

:)

Não vejo as coisas assim, uma vez tomada a decisão é seguir em frente. Depois o "encerrar em nós" é apenas uma questão de racionalidade :)

Beijo

Não será preciso dizer o que a foto me fascina :)

Sil disse...

Claro que não precisas dizer, a foto é o must! :))


O caminho já não são apenas minutos ou horas, e quando fica longo, e pelo meio se cruzam outras coordenadas, as dúvidas nascem não sei bem de onde. Mas resolve-se com toda a certeza!
É tudo uma questão de olhar-me para dentro!
:)






Beijos

Estrela disse...

Às vezes pensar muito não ajuda em nada. Não acredito na culpa, o que importa são as razões. Concentra-te na tua essência e segue os teus instintos, estou certa que verás o caminho.

Beijo *Estrela*do*

Ps: Fantástica foto!

Tomates e Grelos disse...

Bem vindo! Esta partilha faz-nos pensar.

opusdesiderium disse...

nem sempre se adivinha o que o outro/a quer/entende, quando a linguagem é de sinais espalhados, e muito pouco plantados...Medos.... de quem diz que não os tem. Tanto se perde, ou deixamos de viver por via disso....

Beijoooooooooo
GGT
boa semana 💗

DoiSaboresELA disse...

São encruzilhadas que nos fazem parar e pensar. Seja o que for que aconteça, sei que não te arrependerás :)))
Um beijos

Sil disse...

Se fiz pensar, já valeu a pena partilhar!
:)

Sil disse...

Estrelinha estás mais que certa, pensar demais nunca ajuda, mas por vezes precisamos parar para nos vermos, para isolarmos os ruídos externos.
Obrigado pelas palavras de confiança!
:)



Beijo na estrela que brilha


ps: foto maravilhosa, um achado...

Sil disse...

Verdade, de medrosa tenho pouco!
Mas ainda bem que o medo existe, às vezes faz-nos parar bem ali na pontinha do parapeito...
Não gosto de adivinhar nada, prefiro que me seja dito com todas as letras, antes uma verdade que doa, que uma mentira ilusória.
:)




Beijoca das boas
GGT

Sil disse...

Arrepender não, apenas como dizes às vezes precisamos parar e decidir.
:)






Beijoca