24.7.13

Ela colecionava momentos...


Dava-se por inteira no exacto momento em que decidia que era um momento eterno. Dava-se com todos os poros arrepiados, com toda a força desejada, sentia-lhe o gosto antes mesmo de acontecer, e sabia que seria eterno cada segundo, cada minuto inesgotável que os ponteiros do relógio fazem questão de contar. Dava-se e sorvia da energia alheia a força para se alimentar nos dias de inverno, recolhidos sobre si. Duração limitada. Voltava a caçar, voltava a dar-se, morria tantas vezes quantas voltava renascida, sempre a mesma com uma nova camada de pele, como uma cobra que se enrosca e abocanha o inimigo, para saciar a fome de si mesma. Dava-se sem medo de se perder, porque perde-se para ela há muito que não lhe metia medo, apenas era a libertação total em cada abrir de braços e afundar no abismo. Oh vida! Agradecia cada momento... Que lhe dava o que a alma sempre buscou em cada glória, em cada batalha, em cada sorriso um novo passo, os seus, porque jamais quis o que não fosse dela, o que não lhe fosse oferecido. Dava-se, dando-se encontrava-se neles, sentia-lhes a alma mais profunda, e carregava nas costas as mortes mais intensas, mais sentidas. Nas mãos o pecado dos que jazem em cada esquina do passado, marcado para sempre!

6 comentários:

lusoma mar disse...

A minha mensagem de hoje para você é:
A vida é curta, quebre as regras, se apaixone, beije demoradamente,
ame verdadeiramente, ria incontrolavelmente, e nunca deixe de sorrir,
por mais estranho/pequeno que seja o motivo.
bjs

(Ela) disse...

Altruisticamente egoísta. Mulher, portanto!

Beijo d'(Ela)

Nethuns disse...

que tenhas sempre bons momentos,

beijo

Sil disse...

Sempre por tudo e por nada.... VIVO!
:)

Sil disse...

Tão bem dito!
:)







Beijo n'Ela

Sil disse...

Faço por isso sempre!
:)






beijoooooooo